Médicos Homeopatas da Associação Médica Homeopática do Mato Grosso do Sul (AMHMS) se uniram em prol da população e ações atingem todo o Estado. Foram milhares de doses de remédios homeopáticos distribuídas, inclusive em Aldeias Indígenas.

           Mesmo em um momento de caos na saúde pública e de tantas incertezas frente a pandemia mundial do Corona Vírus, médicos homeopatas da AMHMS conseguiram se mobilizar e distribuíram medicamentos homeopáticos no Mato Grosso do Sul beneficiando milhares de pessoas através da intervenção preventiva homeopática.

         A exemplo do que aconteceu em várias pandemias no decorrer da história da humanidade, a homeopatia foi usada de forma eficaz trazendo benefícios e diminuindo o sofrimento, principalmente da população mais vulnerável, pois a distribuição foi gratuita.A presidente da AMHMS, Nazira Scaffi foi a coordenadora das ações e nos relatou as dificuldades e como está sendo gratificante também a nível pessoal este trabalho.

        Nazira Scaffi começa o relato falando da grande oportunidade que a homeopatia teve nesta pandemia de mostrar o seu potencial como terapêutica médica. A história da homeopatia (nestes mais de 200 anos) inspirou as ações, tivemos também as notas técnicas da AMHB que foram cruciais para “sair do comodismo”, diz a médica. “Desde que estava na faculdade queria muito ampliar o uso da homeopatia e tornar esta medicina eficiente e de baixo custo, acessível à toda população, a pandemia deu esta oportunidade e conseguimos ampliar o uso do medicamento homeopático em todo Mato Grosso do Sul, além das comunidades indígenas “, fala Nazira.

              A médica que foi consultora da UNESCO para Saúde Indígena e também tem mestrado em saúde coletiva, fala que muitos foram os desafios enfrentados e superados, mas que a experiência foi exitosa e serve como exemplo inspirador para que demais ações continuem  acontecendo, como as que temos visto nesta pandemia para todo o Brasil.

DESAFIOS
1 – Pandemia gerou muitas  incertezas em todos e era necessária coragem para a exposição em prol da
homeopatia e de dos seus benefícios à população;
2- Não havia possibilidade de se fazer pesquisa aprofundada, porque a situação mudava a todo momento;
3- Necessidade de se orientar  os gestores públicos dos benefícios da homeopatia,orientar a melhor e
mais segura forma de se usar na população.
4- Integração com as equipes de saúde pública, onde muitas não tinham conhecimento do que era a homeopatia.

APRENDIZADO

1- Empatia é Semeadura – reconhecimento  de alguns caminhos institucionais para inserir a homeopatia no Sistema Único de Saúde,Rede de Atenção à Saúde e das necessidade de cursos de homeopatia para profissionais de saúde.

2- A exploração desenfreada do meio ambiente e pandemia pré-instalada de doenças crônicas não transmissíveis criaram terreno para pandemia de covid.

3- A certeza que os médicos homeopatas têm uma ferramenta útil : o medicamento do Gênio Epidêmico para usar em caso de pandemia .

4- É fazendo mais ações como estas que haverá mais campo de pesquisa.

CRONOLOGIA DAS AÇÕES

MAIO DE 2020
– Foram atendidos 6.015 pacientes em Campo Grande por médicos homeopatas ( pacientes e familiares) através de telemedicina e também de preenchimento de formulário on line, que continha esclarecimentos sobre o uso da homeopatia. Através da parceria com as farmácias os preços dos remédios homeopáticos foram reduzidos. Dados coletados serão publicados como pesquisa científica.
AGOSTO DE 2020
– Foram distribuídas 3.500 doses do remédio homeopático em 10 aldeias urbanas de Campo Grande, assim como capacitação dos líderes, respeitando sua cultura e sua maneira de entender a doença.
AGOSTO DE 2020
– Distribuição 180 mil doses de remédios homeopáticos patrocinados pelos médicos,empresas, e nas Unidades de Saúde Básica para pacientes de Campo Grande.
AGOSTO /SETEMBRO DE 2020


– Distribuição do remédio homeopático para toda a  população  e para 15 aldeias indígenas Terenas no Estado: Antonio João – 9.020, Nioaque13.862, Aral Moreira – 12.332, Tacuru- 11.674,Selviria -6.542, Vicentina- 6.109, Gorguinho6.054, Rochedo – 5.079, Novo Horizonte do Sul -3.684, Ponta Porã – 80.000 , Amambai- 35.000,Bataguassu- 2.3325 , Cassilânida: 22.000,Dois Irmãos do Buriti – 11467.
Nas aldeias  Terenas   de Aquidauana, Distrito de Taunay , Sidrolândia,Nioaque, Dois Irmãos do Buriti Anastácio e Miranda – 20 mil doses.