A saúde mental dos idosos está relacionada principalmente a quadros de depressão.

Depressão em idosos:

A depressão é uma condição clínica que está frequentemente associada aos problemas de saúde. E ao aumento do risco de suicídio e mortalidade, nessa população.

A dependência para as atividades diárias, a presença de doenças, alterações do sono, ocorrência de quedas e deficiências visuais, são os fatores mais associados a depressão nesses pacientes.

Quanto mais cedo for feita a identificação dessas alterações na saúde mental, maiores são as chances de sucesso no tratamento.

Prevenindo assim a ocorrência de eventos depressivos, que podem levar a prejuízos funcionais importantes. Como a perda da qualidade de vida e aumento do risco de morte.

Dessa forma, as medidas de socialização, estímulos à atividade física e investimentos em educação, são algumas das intervenções possíveis.

<<LEIA TAMBÉM:Terapêuticas Não Convencionais como Promoção em Saúde>>

Alterações na saúde mental dos idosos:

A depressão em idosos, pode se manifestar de maneira diferente, o que dificulta o diagnóstico e o tratamento adequado. Aumentando os riscos de complicações. 

Além disso, pacientes mais velhos, frequentemente apresentam mais de uma alteração fisiológica, em consequência consomem alguns medicamento ao dia. E ainda, sofrem com algum gral de esquecimento.

Assim, esses fatores chegam a aumentar o risco de eventos adversos mais graves, devido a baixa saúde mental e física.

Desse modo, entre as possíveis complicações relacionadas à saúde mental, destaca-se o suicídio.

Dentre as complexidades relacionadas ao tema, mostra-se o aumento da letalidade em idosos em comparação a pessoas mais jovens.

No entanto, as diferenças geográficas, climáticas, econômicas e educacionais também interferem na ocorrência.

Vários fatores influenciam esse risco ao suicídio, que ocorre especialmente em países em desenvolvimento. Com renda média ou baixa, onde encontra-se 78%, dos eventos de suicídio no mundo.

A literatura mostra que o suicídio é mais comum em pessoas do sexo masculino. E costuma estar relacionado a doenças psiquiátricas.

A maior taxa de mortalidade entre os homens, pode ter relação com o prejuízo das funções sociais que ocorrem com o envelhecimento. Além do uso de estratégias de suicídio mais efetivas.

Mas, ainda há um número significativo de casos não notificados em relação a saúde mental dos idosos, envolvendo quadros depressivos e outras doenças mentais.

<<LEIA TAMBÉM: Medicina Integrativa: Entenda sua importância!>>

Suporte a Saúde Mental do Idoso:

Com isso, as políticas públicas de suporte mental contínuo, são necessárias para prevenir a depressão em pacientes geriátricos.

Além disso, as medidas de suporte mental, conseguem reduzir o  risco do desenvolvimento de pensamentos e comportamentos suicidas. 

Desse modo, o tratamento psicogeriátrico deve ser imediatamente instituído, quando diagnosticado quadros depressivos, ou outras alterações relacionadas.

Outro ponto importante, é orientar a família do paciente da necessidade de verificar e limitar o acesso a medicamentos ou objetos que possam ser utilizados pelo paciente na tentativa de suicídio.

Acima de tudo, o desenvolvimento de políticas públicas mais efetivas no cuidado à saúde mental do idoso, deve ter o objetivo de melhorar a sua qualidade de vida e preservar a sua funcionalidade.

Dessa forma, a homeopatia é uma pratica médica integrativa, que tem grande potencial para tratar as doenças mentais e físicas, de pacientes de todas as idades. Sempre buscando pelo bem-estar e restabelecimento psicológico dos pacientes.

Acesse o site da AMHB(Associação Médica Homeopática Brasileira) e saiba como a homeopatia pode contribuir para a saúde dos idosos.
Leia o artigo completo em http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/174636/163854.