Passados um ano e quatro meses do primeiro caso de Covid-19 no Brasil, seguem na ordem do dia os cuidados preventivos. Lavar as mãos, evitar aglomerações e o uso correto das máscaras, por exemplo. O problema é que há gente relaxando da missão de zelar pela própria saúde. Assim, não é de se estranhar a ameaça da terceira onda batendo à porta.

A Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB), juntamente às suas federadas estaduais, reafirma que não é momento de dar de ombros e, talvez, nunca mais o seja.

São indispensáveis o seguimento de todas as medidas de prevenção e de tratamento reconhecidas pela Ciência e aprovadas pelos órgãos legisladores de saúde.

A visão da homeopatia frente a Covid-19 é exatamente a mesma da medicina tradicional, inclusive por ser uma especialidade da Medicina e totalmente avessa a negacionismos.

“A situação geral, mundial e particularmente a brasileira é de apreensão, uma calamidade. Ainda temos mais perguntas do que respostas. As dúvidas da Ciência a respeito desse vírus e suas manifestações e possibilidades seguem enormes”, comenta Luiz Alberto Iso Fischer Abramides, médico homeopata presidente da Associação Médica Homeopática do Paraná.

“A manutenção de hábitos saudáveis, para o corpo e mente, está em nossas mãos, de todos. Se você zela pela saúde, deixa seu corpo menos vulnerável a doenças e infecções – todas elas. Ajudam bem uma alimentação equilibrada e mais orgânica, a ingestão adequada de líquidos, principalmente de água, a realização de alguma atividade física com certa frequência, ainda que em casa”.

A saúde mental também deve ser constantemente observada com atenção. “A situação prolongada de restrições e perdas de pessoas queridas tem gerado instabilidade emocional a muitos. Medo constante, depressão, angústia e ansiedade”, lembra Iso Fischer. “Nesse aspecto, a homeopatia certamente pode auxiliar demais”.

Não há milagres! Não existe remédio homeopático (ou qualquer outro) capaz de conter a doença – por enquanto.

Atualmente, vários grupos de homeopatas do País se dedicam a pesquisas do gene epidêmico da covid-19 para definir qual (ou quais) medicamentos homeopáticos podem ser úteis de alguma forma. Além disso, de forma isolada e lutando contra os impedimentos hospitalares da entrada da Homeopatia, médicos especialistas vêm se desdobrando para tratar pacientes nos vários estágios da doença, acompanhando relatos com esperança.

“Temos lançado mão de medicamentos diversos homeopáticos no sentido de prevenir, não impedindo a contaminação, mas minimizando os desdobramentos da doença, caso aconteça”, complementa Iso Fischer. Pesquisas e só pesquisas poderão confirmar avanços de forma consistente, com análise estatística e embasamento científico.