Sentimentos e emoções não são, apenas resultados de nossas ações e situações que vivenciamos, pelo contrário. Pois, o cérebro humano é uma fonte de neuroquímicos que se multiplicam por conta própria, e nos fazem sentir todo tipo de emoção, inclusive alegria e amor. Aliás, muito do que sentimos é uma consequência da ação dos hormônios da felicidade em nosso organismo.

Os hormônios e os neurotransmissores influenciam nossa sensação de bem-estar. Da mesma forma o nosso estilo de vida consegue afetar a função dos hormônios da felicidade em nosso organismo.

O corpo humano produz centenas de substâncias químicas, das quais grande parte ainda não foi identificada. Mesmo que os cientistas trabalhem no reconhecimento, é pouco provável que descubram tudo o que é necessário saber sobre tais substâncias químicas que afetam nossas emoções ao longo de nossa existência.

Dopamina

A dopamina é um hormônio da felicidade que ativa o mecanismo de recompensa do cérebro. O que isso significa? Que ao escutar um elogio seu organismo recebe uma descarga de dopamina, que causa uma sensação de bem-estar.

A dopamina também motiva a busca pelo prazer. Para ativar esse hormônio crie metas possíveis de serem alcançadas, como, por exemplo, organizar a mesa do escritório, ou fazer caminhada.

Praticar atividades físicas prazerosas e que impactam positivamente sua vida leva a produção de dopamina.

Serotonina

A serotonina é um neurotransmissor que melhora o humor. A maneira mais eficaz e natural de aumentar sua presença no organismo é praticando exercícios diariamente. Por isso 10 minutos de caminhada todos os dias é benéfico para o humor.

<<LEIA TAMBÉM: Homeopatia é Ciência>>

Oxitocina

Conhecida como “hormônio do amor” a oxitocina é um neurotransmissor e um hormônio que é associado a sentimentos de satisfação em mulheres. Além disso, ser gentil e passar um tempo com entes queridos estimula a produção desse hormônio.

Endorfina

Produzido pelo hipotálamo a endorfina é um dos hormônios da felicidade mais conhecido. Sendo que o organismo fabrica endorfinas quando praticamos atividades físicas de alto impacto, durante as relações sexuais e orgasmo. Por isso atividade sexual regular é recomendada para que os níveis de endorfinas permaneçam altos.