O estudo preliminar de sintomas e medicamentos prevalentes do “gênio epidêmico” da pandemia de COVID-19 no Brasil, foi publicado em abril deste ano.

O estudo realizado pelo doutor Rubens Dolce Filho, doutora Rosana Ceribelli Nechar e doutor Ariovaldo Ribeiro Filho, médicos homeopatas da Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB), que contaram com o Comitê Especial de Pesquisa COVID-19 da AMHB.

Em uma participação na Live, do canal da AMHB da Rede Social YouTube, os médicos realizadores do estudo, falaram sobre esse projeto e sua importância para as futuras pesquisas e protocolos para a validação dos medicamentos.

O doutor Ariovaldo Ribeiro Filho, completa ainda que a AMHB, diante da epidemia, se mobilizou na tentativa de providenciar estudos para descobrir os medicamentos mais indicados e, assim, fornecer um posicionamento oficial.

<<LEIA TAMBÉM: Divulgação de Protocolo para ensaios clínicos na COVID-19>>

Estudo preliminar avalia os sintomas mais comuns da epidemia de COVID-19

De acordo com o doutor Rubens Dolce Filho, para alcançar o grupo de medicamentos do gênio epidêmico, foi necessário avaliar os sintomas mais comuns da epidemia.

Dr. Rubens, comenta que nesse estudo foi utilizado a metodologia de Hahnemann e de James Tyler Kent na abordagem de epidemias. Ele aponta que esse é um estudo retrospectivo de análise sintomática de casos confirmados de Covid-19.

Doutor Ariovaldo Ribeiro Filho, comenta ainda  que o estudo recebeu os relatos de casos, por meio dos colegas médicos homeopatas. Fizeram parte desse estudo 27 pacientes, positivos para COVID-19. Onde 85,7% se encontravam no primeiro estágio da doença. Partindo desse primeiro estágio da doença, as repertorizações foram feita.

Ainda relata Dr. Ariovaldo a importância da testagem laboratorial, para o estudo. Pois nesse mesmo período em que ocorre a epidemia, outras doenças respiratórias também estão presentes, onde os sintomas podem ser semelhantes.

Pelas observações dos sintomas clínicos, chegou-se aos sintomas que mais estão presentes. Onde 74% foram fraqueza intensa. Seguida da apresentação de febre representando 70% das ocorrências e nessa mesma totalidade, encontra-se a tosse seca e curta. Além de outros sintomas modalizados como a disgeusia, ageusia e/ou anosmia, que representaram 40%.

O doutor Ariovaldo Ribeiro Filho aponta que da mesma forma, foi observado que os pacientes que estavam chegando, não apresentavam sintomas novos, além dos já estudados.

Medicamentos do gênio epidêmico de COVID-19

Em conclusão, de acordo com a amostragem dos sintomas, rubricas repertoriais e resultados obtidos, foi feita a comparação com a matéria médica homeopática dos seguintes medicamentos: Arsenicum Album, Bryonia Alba, China Officinalis , Chininum Arsenicosum e Phosphorus.

A doutora Rosana Ceribelli Nechar, aponta que esse estudo deve ainda ser validado, por meio de protocolos.  Além disso, a doutora ainda afirma que cabe ao médico homeopata a escolha entre os medicamentos encontrados, ao que melhor se enquadra ao seu paciente. 

Além disso, Dra. Rosana comenta que da mesma forma, vários grupos de colegas homeopatas, estão fazendo trabalhos semelhantes e os resultados entre os medicamentos elencados coincidem, além de mostrarem outros possíveis medicamentos.  

Caso queira assistir ao vídeo onde o Dr. Rubens Dolce Filho, Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e Dra. Rosana Ceribelli, comentam esse estudo, acesse nosso canal no YouTube. Não esqueça de curtir o vídeo e seguir o canal. Ative o sininho para receber as notificações  http://https://www.youtube.com/watch?v=VSJZrHZwNKA&t=1s.
 <<Acesse o estudo preliminar completo em :https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1087382>>