A homeopatia foi tema de Matéria Pulicada no portal do Observatório da Saúde do Rio de Janeiro, uma organização sem fins lucrativos, criada em março de 2016, por médicos e profissionais da área de saúde comprometidos com a garantia dos direitos humanos, bem-estar social e com o resgate á cidadania.

Seu principal objetivo é analisar e debater assuntos relacionados à prevenção e a promoção da saúde no Rio de Janeiro e no Brasil, tendo como foco específico temas relacionados à saúde pública e a responsabilidade social.

Confira alguns trechos da entrevista feito com o presidente da AMHB , Dr. Luiz Darcy Siqueira.

Em entrevista, o Dr. Luiz Darcy Siqueira conversou com Observatório da Saúde sobre a homeopatia, especialidade médica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina em 1980.

O que é a homeopatia? Como ela surgiu? Para que serve e como funciona?

Homeopatia (do grego ὅμοιος + πάθος transliterado hómoios- + páthos = “semelhante” + “sofrimento”) é um termo criado pelo médico alemão Christian Friedrich Samuel Hahnemann (1755-1843) para designar um método terapêutico cujo princípio está baseado na similia similibus curantur (“os semelhantes curam-se pelos semelhantes”).

O tratamento homeopático consiste em fornecer a um paciente, cujos sinais e sintomas indiquem uma doença, doses extremamente pequenas de substâncias que produzem os mesmos sintomas em pessoas saudáveis, quando expostas às mesmas substâncias em um estudo de experimentação. O medicamento homeopático é preparado por um processo que consiste em diluições seguidas de sucussão da substância, que é a “dinamização” (ou “potencialização”), em uma série de passos realizados por um farmacêutico também especializado em homeopatia, seguindo técnicas devidamente regulamentadas.

A homeopatia é uma especialidade médica? Somente médicos podem usar a homeopatia?

Sim, a Homeopatia é uma especialidade médica. De uma forma geral, a população pode usar os conceitos homeopáticos em várias situações, pois a lei da similitude é uma lei natural, por exemplo: é mais adequado atender uma criança com febre com um banho morno (semelhante) do que com água fria (contrário), mas a prescrição dos medicamentos que exige uma anamnese, exame físico, formulação de um diagnóstico constitui um ato médico. Também outras áreas como Odontologia e Veterinária, já tem a Homeopatia como especialidade e, portanto, são prescritores.

 

O que difere a homeopatia dos métodos tradicionais usados na Medicina?

Basicamente, a avaliação do paciente em sua totalidade, nos seus aspectos mentais, emocionais e físicos, ou seja, a investigação do que está por trás da doença, o entendimento do que seja o doente com sua doença de forma individualizada e não apenas o tratamento da doença, mas do doente que manifesta aquela doença.

Quando a homeopatia deve ser indicada? Ela é indicada para adultos e crianças?

O tratamento homeopático deve ser indicado toda vez que, no estado alterado da saúde, o sistema de defesa do paciente não consegue se recuperar sozinho. Pode ser utilizado em adultos, crianças, idosos, gestantes.

Quais são as doenças tratadas com a homeopatia?

Como as doenças são uma manifestação de uma desarmonia do todo do paciente, pode se utilizar a Homeopatia em todas as doenças. Naturalmente que, quando já está na fase de lesões graves ou mesmo incuráveis, precisa também de outras especialidades como medicina intensiva, cirurgia, oncologia etc.
Alguns especialistas afirmam que a homeopatia pode ajudar contra doenças epidêmicas que se espalham pelo mundo. Por quê? Há algo que a homeopatia possa fazer pelos pacientes com Covid-19?

Habitualmente, o tratamento homeopático é individualizado para cada paciente, mas no caso de uma epidemia ou uma pandemia, um número grande de pessoas tem um conjunto de sintomas semelhantes que podem nos orientar para um determinado grupo de medicamentos, que podem ajudar os pacientes a reagir melhor à doença. No caso da Covid-19, foi feito esse estudo e temos utilizado os medicamentos desse estudo com bons resultados nas fases iniciais da doença.

 

Os medicamentos homeopáticos são indicados para prevenção de doenças ou apenas para o tratamento?

Enquanto diminui a suscetibilidade de adoecer nas doenças crônicas pode ser preventiva e quando a doença já está no nível físico pode ser tratamento.
Os medicamentos homeopáticos têm efeitos colaterais?

Não tem os efeitos colaterais e adversos como dos medicamentos químicos, mas podemos ter efeitos de agravação inicial dos sintomas como uma exacerbação ou uma exoneração na pele ou diarreia, mas o indicativo de que o tratamento está correto é que apesar desses sintomas ocasionais ele está bem no geral, sentindo-se melhor.


É verdade que os medicamentos homeopáticos só funcionam a longo prazo?

Não é verdade! Essa informação se deve porque se observa o tratamento nas doenças crônicas que levam mais tempo para melhorar, mas nas doenças agudas que começaram há poucos dias tem que melhorar rápido, senão nos indica que o tratamento está equivocado.

Os medicamentos alopáticos podem ser usados junto com os homeopáticos?

Sim, em muitos casos, são necessários usar juntos, principalmente nos pacientes que já usam um tratamento alopático contínuo de muito tempo. Esses medicamentos não podem ser retirados de supetão, com o risco de dar um efeito rebote. Então, se trata junto com o medicamento homeopático e, quando o paciente for melhorando, o próprio especialista que prescreveu os alopáticos é que vai avaliar a necessidade de diminuir ou interromper.

O SUS oferece tratamento homeopático?

Sim, a Homeopatia está na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, tanto na atenção básica, como na atenção secundária nos Centros de Especialidades e também a nível terciário em hospitais, principalmente onde existem residências médicas em Homeopatia.

Acesse a matéria completa em http://observatoriodasauderj.com.br/homeopatia-os-semelhantes-curam-se-pelos-semelhantes/?ref=4