A homeopatia é um sistema de tratamento com mais de 200 anos de história, desenvolvida pelo médico alemão Samuel Hahnemann. Isto acontece em virtude da eficácia, baixo custo, responsabilidade social, excelente aceitação e ampla assistência. Os resultados conquistados no decorrer dos mais de 220 anos de história mostraram o potencial da homeopatia no tratamento e cura de doenças. Ainda, as vantagens vão além do baixo custo, uma vez que a homeopatia não causa efeitos colaterais adversos como a medicina convencional.

Os benefícios da homeopatia incluem segurança, eficácia e medicamentos produzidos com substâncias naturais. Em virtude da alta diluição os medicamentos homeopáticos não são tóxicos, por isso podem ser utilizados com segurança por crianças, grávidas, lactantes e idosos. Os medicamentos não têm ação direta sobre os invasores, mas atuam no sistema imunológico para que este seja capaz de evitar doenças.

Homeopatia o segundo sistema de tratamento mais usado no mundo

De administração fácil são extremamente palatável o que permite maior aceitação, sendo que a ausência de diagnóstico não impede o início do tratamento.

A individualização do atendimento é uma demanda do tratamento personalizado moderno. Dito o tratamento homeopático é um tratamento que foca no indivíduo, e atende as necessidades da evolução no atendimento médico.

A homeopatia no Brasil é uma história com mais de 150 anos, que começou com a contribuição do médico francês Benoit Jules Mure. Entretanto evidências recentes indicam que esta história começou a mais de 180 anos com o médico Frederico Jhan, que em 1836 defendeu a tese “Exposição sobre a doutrina homeopática na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro”. No entanto a relevância deste acontecimento não pode ser enfatizada tanto quanto deveria, pois na época que Jhan defendeu sua tese só fazia 4 anos que as faculdades de medicina do Rio de Janeiro e da Bahia haviam conquistado o direito de realizar o curso de doutorado.

No Brasil a homeopatia é considerada uma especialidade médica desde 1980 , mas desde o final do século XIV, pois foi mencionada no decreto Imperial 9554 de fevereiro de 1886, que reconheceu a prática como sistema de tratamento.