Nos últimos anos o aumento dos casos de doenças transmitidas por mosquitos assustou os brasileiros. Segundo dados do Ministério da Saúde 1300 pessoas morreram em virtude da dengue, zika e chikungunya entre 2016 e 2018. Somente no primeiro semestre de 2019 as doenças somaram 244 mil casos em todo o país.

No entanto, este não é um problema exclusivo do Brasil, já que o crescimento dos casos de doenças transmitidas por mosquitos vêm chamando a atenção de autoridades no mundo inteiro. Principalmente com relação às regiões tropicais e subtropicais por causa dos surtos recorrentes. Em algumas áreas estas doenças se tornaram endêmicas provocando milhões de casos anualmente. Febre amarela, dengue, zika e Chikungunya são as principais doenças transmitidas por mosquitos, nos quais a contaminação acontece pela picada do mesmo.

Dengue, febre amarela, zika e Chikungunya são doenças disseminadas por mosquitos com sintomas e perfil compartilhado. Pessoas infectadas com qualquer uma dessas doenças se não diagnosticadas podem vir a óbito. Por isso a prevenção é o melhor caminho para evitar mortes, para tanto é preciso conhecer a prevalência e propagação para melhorar o diagnóstico e planejar intervenções terapêuticas.

Sintomas de doenças transmitidas por mosquitos

Além da forma de contágio compartilhada as doenças também têm apresentação clínica semelhante, sendo a febre o sintoma mais comum. Da mesma forma existem sintomas distintos como aumento e redução do período de febre na febre amarela, hemorragia e redução na contagem de plaquetas nos casos de dengue, e dor nas articulações nos casos de infecção por chikungunya.

Em razão da semelhança nos sintomas iniciais da febre amarela, dengue e chikungunya, e mesma forma de contágio, a possibilidade de um diagnóstico errado nos casos de infecção dupla ser considerada monoinfecção é real. Aliás, já foram publicados diversos relatórios indicando tal cenário.

Apesar de semelhança de alguns sintomas das doenças o tratamento é diferente para cada uma. Pois, a febre amarela é tratada com medicamentos. Já para os casos da dengue e chikungunya não existem medicamentos ou vacina, assim os médicos precisam confiar na terapia de suporte.

Qualquer tipo de atraso no diagnóstico ou início do tratamento pode ter consequências fatais para os infectados. Ainda, não há informações suficientes sobre como as infecções simultâneas interferem na gravidade e resultado dos tratamentos.

Para mais informações sobre prevenção das doenças transmitidas por mosquitos acesse: https://bit.ly/2NGPHk7