A atual pandemia de COVID-19 trouxe uma rápida disseminação de medo e dor, entre a população mundial. E já é de conhecimento a décadas, que o uso da homeopatia tem um elevado potencial na intervenção desses quadros.

União da classe homeopática no combate ao COVID-19

Com isso, diante o aumento da transmissão e do número de mortes, entre os pacientes afetados pelo COVID-19, junto com a falta de tratamento e de prevenção específica, se tornou fundamental a união de instituições homeopáticas e universitárias, no aspecto assistencial e de pesquisa. 

A homeopatia e a Ciência:

Em resumo, a homeopatia é uma especialidade médica, que se posiciona à partir dos dados obtidos por trabalhos científicos e das práticas clínicas, divulgadas pelos países que já estão tratando os seus pacientes afetados pelo COVID-19.

Dessa forma, foi proposto a elaboração de possibilidades de tratamentos homeopáticos. E a eleição de medicamentos do gênio epidêmico, para o atual COVID-19.

No Brasil, como em outros países, o uso da homeopatia foi aplicada anteriormente em epidemias. Destacam-se os trabalhos de intervenção em epidemias de dengue nas cidades de Macaé e São José do Rio Preto. Como também, em surtos de meningite, em Guaratinguetá. Que tiveram resultados favoráveis.

<<LEIA TAMBÉM: Saúde Pública e a aplicação das Práticas integrativas no SUS.>>

Busca pelo gênio epidêmico do COVID-19

Na atual pandemia de COVID-19, o modelo homeopático segue o repertório de sintomas e da matéria médica. Que condensa as informações dos medicamentos, a serem empregados. 

Do mesmo modo, baseando-se nos sintomas da doença ativa, é possível extrair os principais medicamentos para o tratamento de pessoas infectadas. Sobretudo para aquelas que possuem alergias ou intolerância aos medicamentos não homeopáticos. 

Por outro lado, também são propostas as possibilidades de tratamento para estimular a imunidade dos pacientes.  

Por meio disso, os estudos homeopáticos buscam a coleta de informações sobre os sintomas do COVID-19, através dos profissionais da saúde.

<<LEIA TAMBÉM:Estudos epidemiológicos em epidemias>>

A apresentação dos medicamentos de acordo com os sintomas do COVID-19

Como resultado, os principais medicamentos propostos pelas escolas médicas, a partir da repertorização dos sintomas de Resfriado e Gripe foram: Gelsemium semp., Aconitum nap.,Eupatorium perf., Sambucus, entre outros.

Já para a apresentação dos sintomas como broncoespasmos, secreção e pneumopatias, aparecem os medicamentos: Chlorum, Bromium, Hydrocianicum Acidum, Bryonia, Carbo Vegetab., Phosphorus, Arsenicum Album, entre outros.

Dessa forma, é possível observar uma série de medicamentos prováveis para o gênio epidêmico, pelas repertorizações dos sintomas do COVID-19. 

Assim, as escolhas dos medicamentos dentro do gênio epidêmico do COVID-19, devem ser realizadas pelos médicos homeopatas. Que entre outras diretrizes, levam em consideração a reação individual de cada paciente.

<<LEIA TAMBÉM: Covid 19 – Relatório da Pesquisa e Protocolo Santa Catarina da Covid-19>>

A terapêutica homeopática aplicada na promoção de saúde coletiva

Em conclusão, o tratamento homeopático pode auxiliar a saúde da população e dos pacientes afetados.

Complementando, ou até mesmo sendo a escolha para pacientes que possuem intolerância ou alergias específicas a medicamentos alopáticos.

Assim, unindo as possibilidades terapêuticas e os esforços institucionais e governamentais, a homeopatia pode se tornar uma alternativa viável e eficaz no combate ao COVID-19.

Acesse o site da AMHB e tenha acesso a conteúdos atualizados sobre o uso da homeopatia no COVID-19: https://amhb.org.br/blog/
Acesse este estudo homeopático completo em: https://amhb.org.br/wp-content/uploads/2020/08/CORONA-VIRUS-HOMEOPATIA-OFICIAL-REVISADO.pdf