Conversando com o Homeopata

postado em: Artigos, Destaque na Home | 0

 

A homeopatia é uma grata ciência que nos foi legada pelo genial médico alemão Cristiano F. Samuel Hahnemann, há aproximadamente 200 anos.

A homeopatia unicista, uma medicina da pessoa, antes de tudo, modificou em muito, a minha própria vida e de minha família, mudando nosso curso evolutivo para melhor.

A homeopatia hahnemanianna, além de proporcionar o alívio em moléstias agudas e crônicas a nível corporal, também facilita a solução de traumas emocionais e favorece a superação mais rápida das diversas crises que fazem parte do crescimento humano, desde a gestação, amamentação, infância, adolescência, fase adulta, senescência e terceira idade, gerando portanto a adequação em cada estágio com conseqüente progressão normal, levando à felicidade, dignidade e amor.

Hahnemann enunciou a homeopatia como sendo uma ferramenta emancipadora, capaz, de quando corretamente exercida, libertar o ser de seus sintomas escravisantes.

Viver a homeopatia nestes últimos 21 anos tem sido uma verdadeira benção para mim, pois venho sendo imensamente gratificado, pela dissolução do sofrimento do paciente – amigo, com seu retorno á saúde, de forma global, obtendo crescimento com o tratamento e me ajudando a crescer.

A homeopatia não disputa com a alopatia, até por agir de modo muito diferente, todavia, soma, como uma possibilidade, para os casos em que muitas vezes nos sentimos impotentes diante da doença. Diz-se que o grande homem é aquele que descobriu a sua pequeneza.  Nesse sentido é que nos colocamos como meros colaboradores e facilitadores na busca de uma humanidade escondida dentro de cada um de nós.

Os resultados do tratamento homeopático em termos práticos ocorrem em múltiplos campos como por exemplo:

No  pré-nupsial: a homeopatia  induz à maior clareza , com melhor certeza em decisões fundamentaes como esta,  pode então melhorar esse encontro, melhorando a qualidade e intensidade da energia vital (como se fala em homeopatia ), pode também agir  elevando os índices de  fertilidade do casal.

Na gestação: A gestante pode optar por agregar ao seu pré-natal usual obstétrico, um pré natal homeopático, propiciando maior harmonia do binômio mãe e filho. Poderíamos aqui já colocar a idéia de uma  homeopatia fetal, pois sabe-se que o tratamento homeopático da mãe traz resposta no concepto, como por exemplo a harmonização dos movimentos fetais. Temos um caso de uma mãe que estava sob nossos cuidados e que costumava gerar filhos com baixo indice de desenvolvimento.Tratamos essa gestante com homeopatia e obtivemos resposta no desenvolvimento deste feto, para nossa satisfação em poder ajudar.

Na infância: É muito comum em bebês a dificuldade no sono, insônia, despertar muito frequente etc. E a homeopatia costuma ter excelentes resultados nestes casos.

A homeopatia pode ser útil para bebês que estão sendo amamentados no seio materno, pois sabe-se que a informação medicamentosa homeopática passa pelo leite. Pode parecer incrível mas testemunhamos uma pneumonia em um bebezinho ser resolvida com comprovação radiológica, atravéz deste método.

Terrores noturnos, ranger dos  dentes, medos, distúrbio de atenção, hiperatividade, indolência ou preguiça para estudar, tendência á obesidade, hipertensão arterial em crianças, asma, infecções de repetição, deficiência de crescimento e etc, podem ter ajuda com o acessoramento do homeopata.

A adolescência, fase difícil e muito importante da nossa vida, pode ter sua crise melhorada  pela homeopatia, com a dissolução mais rápida da sensação de inadequação e melhoria da auto-estima. Ocorre nesta fase uma mudança hormonal que pode chegar a 800%, sendo que, abrutamente, aquela antiga criança sente-se muito confusa com essa  tremenda virada. Afinal, pensam; – sou uma criança ?,- sou um adulto?, ou  -sou um adulto ainda muito inexperiente?

O equilíbrio consenguido com a boa homeopatia, traz o nosso filho de volta, e a paz pode progressivamente voltar ao lar.

A homeopatia funcina segundo leis e regras que se repetem, a despeito de nossa vontade, como por exemplo: ela  cura na ordem de cima para baixo e de dentro para fora, protendo sempre órgão mais nobre, como poderíamos citar: o nosso cérebro,( principal meio de sobrevivência na atualidade). Não nos surpreenderia então sua excelente atuação no campo das doenças mentaes em geral.

Em homeopatia a gente ‘pensa’, paciente por paciente, sem generalizar. Neste caso o médico é uma espécie e “personal homeopata’ em que em cada caso há algo inusitado a desvendar. Alguns pacientes em tratamento mudam “da água para o vinho”, outros necessitam de um processo em que em geral, um mês de tratamento lhes renova como que um ano de vida enferma, uma espécie de marcha á ré para desfazer os “nós” e permitir o rearranjamento adequado do ser, para que atinja como queria  Hahneman “os altos fins existenciais”.

A ciência homeopática cada vez nos interessa mais, estamos sendo impulsionados, pelo desenvolvimento da informática, da genética, da física quântica( do átomo ),  e etc. Nos últimos 21 anos vi crescer a homeopatia em termos de bases e comprovações ciêntificas. Estamos mais amparados e situados, sabemos melhor onde pisamos.

Entendo a homeopatia hahnemaniana, unicista ou clássica, como uma  forte esperança para que tenhamos um presente e um futuro melhor, em que seja viável o amor.

Acredito que de nada adiantará simplesmente nos preocuparmos com o caos em que vivemos hoje, preciso investir intensamete  em ações que possam causar essa reversão e a homeopatia é uma destas que pode trazer   de modo claro e intenso a melhoria dessa ecologia humana tornando novamente este planeta viável.

 

Dr Jorge Ricardo dos Santos

http://www.jorgehomeopata.com.br