O gênio epidêmico é o assunto de mais uma aula da campanha “Homeopatia na COVID-19”. Essa aula está disponibilizada no canal do YouTube da campanha, para a capacitação dos médicos homeopatas, onde o doutor Cláudio Araújo apresenta os conceitos sobre esse assunto, aplicados na atual epidemia de COVID-19.

Na aula, Dr. Cláudio inicia a conversa atualizando os casos confirmados de COVID-19, no mundo. E com isso comenta a impossibilidade da existência de um único medicamento do gênio epidêmico para toda população afetada. Onde existe uma grande possibilidade de variações nos sintomas apresentados.

Portanto, mostra a aplicabilidade de um grupo dos medicamentos do gênio epidêmico. Através da metodologia e do conhecimento da natureza dos sintomas epidêmicos da COVID-19.

<<LEIA TAMBÉM: Medicamentos do Gênio Epidêmico da COVID-19>>

Os sintomas do gênio epidêmico da COVID-19

Os sintomas da atual COVID-19 em geral são violentos e relativamente progressivos. Com essas informações o médico homeopata deve buscar a partir da repertorização, os medicamentos que possuem as mesmas características da doença.

Além da forma de instalação, os pacientes da COVID-19 comentam a perda do olfato e do paladar, durante o processo de adoecimento. Descrevem o cansaço profundo, que os leva a prostração aguda. Da mesma forma que apresentam febre alta, dificuldade respiratória e alterações hemorrágicas. E acima de tudo relatam a presença de dor no corpo.

O medicamento do gênio epidêmico tem que seguir o padrão da natureza dos sintomas dessa patologia. Pelo repertório realizado, chega ao grupo dos medicamentos do gênio epidêmico, os quais devem cobrir todos os sintomas patognomônicos da enfermidade.  

<<LEIA TAMBÉM: Aula sobre sintomas epidêmicos para o enfrentamento ao Covid-19>>

Quais são os medicamentos do gênio epidêmico da COVID-19

Os possíveis medicamentos do gênio epidêmico da COVID-19 são: Arsenicum Album, Bryonia, Phosphorus, Cânfora e Quina, entre outros.

Na atual epidemia de COVID-19 destaca-se o uso de  Arsenicum Album, pelo fato desse medicamento manifestar no enfermo, os sintomas que a doença faz esse experimentar. Além das alterações fisiológicas, o Arsenicum Album, também traz as representações psíquicas que o paciente expressa durante esse processo. Como por exemplo: A preocupação de transmitir o vírus para os familiares, a ansiedade e o medo da morte. São evidências comuns nos pacientes da COVID-19.

Da mesma forma, o Arsenicum Album mostra a inquietação mental e geral do paciente. Como também a queimação e o cheiro do hálito cadavérico e a preferência do paciente por substâncias frias. Quando esses sintomas são observados, recomenda-se a prescrição de Arsenicum Album.

Já em relação ao Phosphorus, esse já não demonstra a inquietude marcante, por exemplo.  Desse modo, com o diagnóstico patogenético e os sintomas patognomônicos, além das modalidades particulares e gerais, a escolha individualizada do medicamento é promissora.

A apresentação dos sintomas conduz a escolha terapêutica

É a partir da anamnese que o paciente vai dizer o que ele enfrenta, por meio dos sintomas.  O fator de maior relevância na escolha do gênio epidêmico, é a capacidade do medicamento em produzir os patognomônicos, de todos os casos agudos da doença.  Desse modo, é garantida a cobertura dos sintomas dessa epidemia.

Para participar da campanha homeopatia na COVID-19 acesse: https://homeopatianacovid.com.br/ 
Assista ao vídeo onde o dr. Cláudio Araújo apresenta a terceira aula sobre o gênio epidêmico: https://youtu.be/H5jl-2OlWgU