A Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB), com intenso apoio dos coordenadores de residências de homeopatia, Francisco Freitas, da UNIRIO, Mônica Beier, Hospital Público Regional de Betim (MG), e Joaquim Longo, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), atua na elaboração das matrizes de competência que serão parâmetros de boa formação para os serviços de residência em Homeopatia no Brasil. Dia 16, houve reunião para ajustes com o coordenador do Grupo de Matrizes de Competências das Residências Médicas da CNRM, Fernando Fidelis.

O documento terá três pilares: conhecimento, habilidade e atitude. Atualmente, existem quatro residências homeopáticas aprovadas no País, sediadas no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e no Espírito Santo.

Segundo o presidente da AMHB, Luiz Darcy Siqueira, a meta é apresentar um documento-base com sugestões das competências no Congresso Brasileiro.

“A residência médica é o ‘padrão ouro’ das especialidades. Aliás, a partir da qualificação do programa mínimo de formação para a residência, teremos cada vez mais profissionais homeopatas de alto nível – com título e registro nos Conselhos Regionais”

Os moldes para a especialização devem ser apresentados à Comissão Nacional de Residência Médica em breve.