A dengue é uma doença de grande importância em países tropicais e subtropicaisAtualmente não existem tratamentos específicos nem vacinas para a prevenção.

A doença é causada por um vírus transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. 

Os sintomas da dengue podem passar despercebidos!

Porém, algumas pessoas não apresentam os sintomas ou apresentam apenas um quadro febril, conhecido como a dengue clássica. 

No entanto, alguns pacientes podem desenvolver o quadro grave da doença, denominada febre hemorrágica da dengue. A qual ocorre principalmente após a reinfecção pelo vírus.

O número estimado de pessoas infectadas, é de aproximadamente 390 milhões ao ano. Mas apenas 96 milhões apresentam manifestação clínica da doença.

Dessa forma, a incidência da doença apresentou crescimento bastante acelerado em diversas populações. Especialmente em razão do aumento populacional e da urbanização não controlada.

A falta de saneamento básico e a grande quantidades locais favoráveis aos vetores da doença, causam uma enorme dificuldade no controle dessa enfermidade.

A homeopatia tem potencial para atuar em epidemias:

O caráter epidêmico da dengue chama atenção dos médicos homeopatas, que garantem que a prática é útil como medida profilática e terapêutica para a doença.

Dessa forma, os profissionais homeopatas sugerem que os medicamentos têm ação curativa e preventiva em doenças epidêmicas quando selecionados conforme o conjunto de sintomas peculiares à epidemia, conhecido como “gênio epidêmico”.

Além disso, os tratamentos homeopáticos possuem um baixo risco de reações colaterais graves nos indivíduos.

Outra vantagem, é que seu custo financeiro para a prevenção, no caso da dengue é inferior a um centavo de dólar norte-americano. E o equivalente a US$ 1,75 para o tratamento da doença. 

Os estudos homeopáticos sobre a dengue, apontam o medicamento Bryonia alba como os melhor profilático para uma epidemia da doença. 

Já nos casos de manifestações hemorrágicas da doença, os medicamentos de escolha são: Crotalus horridus, Lachesis muta e Phosphorus.

No entanto, até o momento, pela falta de ensaios clínicos randomizados, duplo-cegos e controlados em número suficiente, não há evidências absolutamente claras dos medicamentos homeopáticos para o tratamento e a prevenção da dengue. 

Desse modo, são necessários mais ensaios clínicos para alcançar as evidências científicas concretas e possibilitar a maior adesão ao uso.

Homeopatia no combate a dengue

Portanto, comprovada sua eficácia, a homeopatia é uma alternativa viável e de baixo custo para o controle da dengue.

Mas, as ações usuais empregadas na prevenção primária da doença relacionadas ao saneamento básico, controle dos vetores e eliminação dos focos de água parada, devem ser continuadas. E não devem ser substituídas por formulações homeopáticas.

Trabalhos de intervenção com o uso da homeopatia estão sendo realizados em algumas regiões do Brasil. E já mostram resultados positivos, aliadas às medidas clássicas de controle da doença.

Dessa forma, o uso da homeopatia vem a ser um aliado a essas ações de prevenção e tratamento.

Uma vez que a homeopatia é uma prática médica concreta que visa a cura e o bem-estar da população e tem grande competência em atuar diante de epidemias.

Acesse o site da AMHB (Associação Médica Homeopática Brasileira):https://amhb.org.br/amhb/
Leia o artigo na integra: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-462X2014000400321&lng=pt&nrm=iso