Iniciativas de ensino homeopático em todo Brasil têm surgido nos últimos anos, garantindo assim a renovação dos médicos homeopatas, e a sobrevivência da homeopatia como terapêutica. Um exemplo é a iniciativa do médico homeopata Pedro Marcelo Moro, de Maringá, interior do Paraná, entusiasta, ele é uma das dezenas de professores que se dedicam ao ensino da homeopatia no país.

Tudo começou quando ele foi trabalhar dentro da Prefeitura de Maringá, no departamento de Saúde da Família, e começou a aplicar a homeopatia na rede pública. “Criado um serviço ambulatorial na rede pública , ousamos e fizemos a proposta para a universidade local (UNICESUMAR) de colocar a homeopatia como disciplina, e começamos a receber os alunos do 6 º Ano de Medicina neste ambulatório ,“ relata o professor.

Num primeiro momento há sempre uma resistência por parte de alguns alunos o que vai se desfazendo na medida que o aprendizado teórico vai sendo constatado no atendimento e melhora clínica nos pacientes, relata o professor. “ A experiência com o paciente faz a grande diferença no aprendizado da homeopatia, porque os alunos vêem as melhoras e isso desperta neles uma nova forma de perceber o paciente, de maneira integral“ , fala Moro.

“Estamos plantando sementes importantes ao ensinar a homeopatia às novas gerações de médicos, pois com isso suscitamos um olhar mais amplo e profundo,na formação médica desses alunos, em relação ao processo saúde-doença do paciente e isso é muito gratificante.“ fala o médico.

Para o presidente da Associação Médica Homeopática, Dr. Iso Fischer, o apoio aos médicos homeopatas que se propõem a ensinar a homeopatia para nos novos médicos, dentro do ambiente universitário é primordial.

“Parabenizamos estes médicos, como Dr Moro , pelo tempo e pelo ensinamento a esta nova geração, que vai dar sequência à arte de curar de Samuel Hahnemann”, conclui o presidente. #homeopatiasim,#homeopatia.

Por: AMHPR